ASSISTI OLHOS QUE CONDENAM - OPINIÃO DA BLOGUEIRA

26/07/2019

Fui super recomendada a assistir essa serie desde o seu lançamento na Netflix, e finalmente tirei um tempo para apreciar tal obra e meus amigos: Fiquei chocada. Nessa resenha (pode haver um spoiler ou outro ok? Mas garanto a vocês que isso não irá alterar em nada) contarei a vocês a minha experiência ao assistir a série.

Em 19 de abril de 1989, cinco meninos negros são presos, interrogados e coagidos a confessarem um estupro brutal a uma mulher branca, ocorrido no Central park. Diante dos acontecimentos, os meninos vão a juri e o caso toma uma repercussão nacional. Após a condenação (Sim, um spoiler eles são condenados mesmo com várias provas concretas de que não cometeram o crime) a vida de cada um deles muda dentro dos reformatórios. Atenção ao personagem Korey, foi sem dúvidas um dos que mais me chocou durante a trama. Por ser o mais velho dos cinco meninos, ele vive por doze anos a dura realidade dentro das penitenciárias, gastando seu tempo na solitária e imaginando como seria se nada daquilo tivesse acontecido.

É pesado, oscilamos o tempo todo durante toda a série. Nos emocionamos, ficamos com raiva, torcemos pra que dê tudo certo e nos frustramos quando por acaso não dá. Em vários momentos a gente analisamos situações (pelo menos eu fiz o questionamento de " Caramba. deve ser complicado querer uma chance e não ter, bater em várias portas e receber um não de todas elas.) Esses pensamentos nos fazem pensar do outro lado, e não que as atitudes tomadas justifiquem, mas fica claro durante a trama de que o fardo de ser fichado na polícia pesa e mancha uma vida inteira, que passa a ser limitada e critério decisivo para qualquer coisa que se deseja fazer.

Por vários momentos sentimos como o tempo faz uma diferença imensa em nossa vida, e em como ele não se recupera mesmo que comecemos uma nova página. Percebemos em algumas passagens os olhares perdidos e surpresos com as tamanhas mudanças ao longo dos anos. Todos possuem seus conflitos e dificuldades para se readaptar depois de tanto tempo sem liberdade. Seja em um antigo quarto com várias tralhas, ou na dificuldade para se arrumar um emprego. 

Dividida em quatro partes com cerca de uma hora e trinta minutos de duração. Os capítulos são muito bem organizados e possuem fluidez, proporcionando ao espectador uma imersão aos fatos em cada um deles. Destaque para a trilha sonora da série (inspirada nos clássicos do Rap do final dos anos 80 e inicio dos 90) e os elementos presentes da época, como os rádios, vestimentas tradicionais, dentre outros.

Depois de tantas emoções vividas durante a história, um final digno e emocionante, que aos mais fracos pode render umas lágrimas. Uma série para ver, refletir e se emocionar. Recomendo!

Ps: Abaixo, a playlist com a trilha sonora da série que é incrível de maravilhosa. 

Beijos!