CINE RESENHA: QUESTÃO DE TEMPO

10/07/2019

Durante minhas férias, tive o Netflix um dos meus maiores aliados naqueles momentos eu que eu estava fazendo nada x nada. Na procura de filmes para assistir, meu preto me indicou o filme questão de tempo, e confesso a vocês que assisti-lo me fez refletir sobre esse lance que as vezes a gente se pega pensando "Se eu pudesse voltar no passado, teria feito." Já começo estas linhas dizendo que recomendo demais.

O filme de 2013, que dentre os nomes do elenco tem a icônica Rachel McAdams, conta a história de um rapaz que tem o poder de voltar no tempo (assim como todos os homens de sua família) e sabendo disso, ele tenta conquistar o amor de sua vida e ajudar um amigo de um fracasso em sua vida profissional.


Tudo se passa em Londres, e fotografia é linda, é possível se apaixonar também pela narrativa do longa em primeira pessoa e nos encontros e despedidas que acontecem na estação de metrô. O desenvolvimento do personagem durante o filme também acontece de maneira bonita, a trilha sonora também encanta, assim como os elementos literários da casa do amigo diretor de teatro, e o poster no quarto do personagem principal de outro clássico do cinema: O fabuloso destino de Amélie Poulain. Simplesmente fantástico! Já adianto que Tim Lake vai sentir as mudanças em sua vida acontecendo de maneira rápida e , como toda pessoa e em alguns momentos aparentemente não vai saber lidar com elas.

Como contei a vocês no início da resenha, todos os acpntecimentos me fizeram repensar o fato de querer voltar ao passado para consertar coisas na vida. Isso se deve ao fato (e isso pode ser um possível spoiler ok?) de que voltar ao passado e consertar as coisas pode fazer com que seu futuro seja alterado, e isso vai acontecer em alguns momentos. Ao fazer possíveis alterações outras são sacrificadas, e justamente isso te faz pensar se vale a pena mesmo fazer essas mudanças. Será que as vezes não é bom aprender com erros e se permitir o curso da vida? Te deixo esse questionamento.


O final é incrível e também te lança um questionamento a respeito do bem estar do personagem. A mensagem passada não poderia ser melhor, o que pode te render boas lágrimas. Indico muito, vale a pena aprender um pouco com esse clássico. Tá disponível na Netflix.


Beijos!